Nepotismo e retrocesso?

     Partindo do princípio do Direito como um conceito interpretativo, a premissa aberta por Jair Bolsonaro pode acabar com a moralidade no Brasil. A Constituição afirma que qualquer brasileiro pode ser indicado para um cargo de embaixador, sem precisar pertencer ao quadro diplomático do Itamaraty.
 
     Além disso, por ser uma indicação direta do presidente para um cargo político, não se enquadra na lei de nepotismo. Para ser embaixador, basta que o brasileiro tenha mais de 35 anos e nem precisa saber fritar hambúrguer.

     Segundo a imprensa, ministros do STF (sempre eles) já teriam entendimento de que a indicação do filho do homem não se enquadra como tal... O retrocesso será monumental em todas as esferas de poder. 

     Será difícil separar o público do privado, a coisa pública será transformada, dentro das asas da legalidade que pode ser aberta por este precedente perigoso, em negócio exclusivamente de família!

Comentários