Câncer de boca - álcool, fumo e HPV: três fatores de risco.



Câncer de boca

Ainda de acordo com a coluna de Feltrin, o tumor de Burnier localiza-se na base da língua, uma forma comum nesse tipo de doença, que atinge, principalmente, homens acima de 50 anos.

A doença costuma ocorrer na parte posterior da língua, mas outras regiões como o assoalho bucal, lábios, bochechas, gengivas, glândulas salivares, amígdala e o céu da boca também podem ser afetadas. Quando diagnosticado na fase inicial, o câncer de boca tem cura.

Fatores de risco

O fumo e o consumo excessivo de bebidas alcoólicas são os principais fatores de risco. Quanto maior o número de cigarros e de doses de bebidas alcoólicas ingeridas, maiores são as chances de ter a doença. Além disso, a exposição ao sol sem proteção é um fator de risco para o desenvolvimento de câncer de lábio.

O vírus HPV (Papiloma Vírus Humano), quando transmitido por sexo oral, também está associado a casos de câncer na cavidade oral. A alimentação pobre em frutas, legumes e verduras pode também estar relacionada à ocorrência desse câncer.

Sintomas do câncer de boca

  • Lesões na cavidade oral ou nos lábios que não cicatrizam por mais de 15 dias;
  • Manchas/placas vermelhas ou esbranquiçadas na língua, gengivas, palato (céu da boca), mucosa jugal (bochecha);
  • Nódulos (caroços) no pescoço;
  • Rouquidão persistente.


Nos casos mais avançados observam-se os seguintes sintomas:

  • Dificuldade de mastigação e de engolir;
  • Dificuldade na fala;
  • Sensação de que há algo preso na garganta.


Prevenção do câncer de boca

Abstenção de fumo e bebidas alcoólicas, dieta rica em alimentos saudáveis, boa higiene oral, e outras atitudes como estas, diminuem as chances de desenvolver a maioria das doenças malignas, inclusive os tumores na boca, que são os mais comuns tipos de câncer de cabeça e pescoço no Brasil. A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que a prevenção pode ajudar a reduzir a incidência de câncer em até 25% até 2025.

Comentários