Brasil: sem mandatário e sem mandante


Gustavo Conde comenta a divulgação dos nomes dos executores de Marielle Franco e Anderson Gomes e diz que a pergunta que o Brasil deve se fazer nesse momento é "quem foi o mandante". Conde também afirma que o volume de coincidências entre os milicianos e a família Bolsonaro enseja muita preocupação, uma vez que estas personagens estão no poder central do país. 

A Live ainda traz um prognóstico sobre o crescimento do Psol e sobre a agenda Lula Livre, crucial para a retomada da soberania institucional do país.

Comentários