segunda-feira, 4 de maio de 2015

Governo condiciona pagamento de emendas à flexibilização do superávit

Confusão é marca que este Governo quer implantar no seu final, e se não bastasse não cumprir a meta fiscal, tudo é oficializado via Diário Oficial da União.



O governo liberar verbas do orçamento pode até ser um "favor" para os deputados, mas não para a população. Bem ao contrário, é obrigação do Governo para com todos os cidadãos brasileiros.

Ao negar-se a liberar essas verbas via chantagem aos Congressistas, em essência, o governo está afirmando que não se importa com as privações que as pessoas poderão vir a passar, face à falta dessas verbas para obras.

Lamentável! Sem falar que esse projeto de lei é totalmente imoral e que qualquer pessoa de bem deveria se negar a assiná-lo.


A projeto visa permitir que a equipe econômica possa descontar todos os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e as desonerações tributárias da economia mínima para o pagamento dos juros da dívida pública.

A manobra dá um aval para que a meta seja considerada atingida mesmo se o resultado primário for bem abaixo dos R$ 49 bilhões previstos na legislação em vigor.

Por isso, PSDB, DEM e PPS têm acusado a presidente Dilma Rousseff de pedir um cheque em branco para não ser responsabilizada por um eventual descumprimento da meta.


Governo condiciona pagamento de emendas à flexibilização do superávit - Política - Estadão

Seguidores