quinta-feira, 7 de maio de 2015

Derrota para o Corinthians põe pressão no Tricolor e Muricy revela perseguição nos bastidores do São Paulo

Pelo jeito que vão as coisas pelos lados do Morumbi, o clima tá pesado e o grupo coeso dentro de campo é rachado fora dele. Os atletas parecem se dar bem, mas enquanto o vice de futebol fala em renovar contratos e adquirir jogadores pode ser apenas para pressionar o treinador de uma forma mais light. 

O técnico  Muricy Ramalho, sempre sincero no que diz, expôs problemas nos bastidores do São Paulo neste sábado, depois da vitória por 4 a 0 sobre o Osasco Audax, pelo Campeonato Paulista, no Estádio do Morumbi. O treinador contou que sabe de pessoas no clube que querem a sua demissão e admitiu que o seu jeito incomoda, mas descartou mudar e ainda atacou: "Se me querem fora, que me mandem embora".

A pressão recaiu sobre o comandante são-paulino na última semana depois da derrota por 2 a 0 para o Corinthians, pela Libertadores. Na atuação apática na estreia no torneio continental, o time não ameaçou o rival e a torcida organizada Independente chegou ainda a pedir a demissão de Muricy nas redes sociais. 

Mas no jogo deste sábado, o técnico superou as cobranças e teve o nome gritado nas arquibancadas.

"Comecei no São Paulo com nove anos de idade. Por isso o torcedor me reconhece. Mas é claro que tem pessoas que querem fazer a torcida agir diferente. Conheço todo o clube e sei de todos os movimentos, até de pessoas que querem criticar o meu trabalho", comentou o técnico. 

No começo do ano, o presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, chegou a cobrar Muricy por títulos, ao dizer que havia montado um elenco competitivo para 2015.
Muricy revela perseguição nos bastidores do São Paulo - Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: futebol,paulistão,são paulo fc,muricy ramalho


Seguidores